Endometriose: Saiba quais os sintomas, diagnóstico e tratamento

A endometriose é uma doença crônica muito dolorosa que afeta milhões de mulheres no mundo. E por ser muito difícil de diagnosticar, muitas mulheres passam anos sofrendo com os sintomas da doença até conseguir um diagnóstico preciso.

Além da dor aguda, a doença também causa infertilidade e pode afetar vários órgãos, causando extremo desconforto. E todo o transtorno é causado porque o endométrio (tecido que reveste o interior do útero) se espalha para outros órgãos da região abdominal como ovários, trompas, bexiga e intestinos.

O endométrio se forma nas paredes do útero todos os meses e fica mais espesso para receber o óvulo fecundado. Quando não há fecundação ele se desfaz e dá origem à menstruação.

Sendo assim, a endometriose ocorre quando o endométrio se espalha para os ovários ou outros órgãos da região abdominal. Como ela pode começar desde o início da vida menstrual da mulher, é importante saber identificar os sintomas desde o princípio.

Endometriose: Sintomas

O principal sintoma envolve a dor abdominal aguda durante o período menstrual. Geralmente a dor intensa vem acompanhada de um sangramento menstrual também muito intenso ou pequenos sangramentos fora do período.

No entanto, dependendo do órgão em que o endométrio estiver instalado será a dor, neste caso observe os seguintes sintomas:

  • Cólicas menstruais bem intensas
  • Dor durante a relação sexual
  • Dor aguda na região abdominal
  • Menstruação excessiva ou irregular
  • Depressão, fadiga e exaustão
  • Alterações urinárias e intestinais durante o período menstrual
  • Infertilidade ou dificuldades para engravidar
  • Dor ao evacuar, constipação ou diarréia quando o endométrio se instala no intestino grosso
  • Incontinência urinária e dor ao urinar quando afeta a bexiga e em alguns casos até infecção urinária frequente
  • Dor súbita e aguda no abdômen quando o tecido endometrial se instala nos ovários

Endometriose: Diagnóstico e tratamento

Quando há suspeita de endometriose, o diagnóstico é feito primeiramente através de exame físico. São feitos alguns exames, como, ressonância magnética ultrassonografia transvaginal, exame ginecológico ou outros exames laboratoriais exigidos.

Por se tratar de uma doença silenciosa e de difícil diagnóstico, é provável que outros exames sejam solicitados pelo médico, como a tomografia computadorizada, a ultrassonografia transretal e a ecoendoscopia retal.

Depois destes exames, o médico ainda poderá solicitar uma biopsia da região afetada que será feita através de laparoscopia e laparotomia. Este processo é necessário para comprovar ser realmente é endometriose.

Ao ser confirmada a doença, é preciso tratamento cirúrgico da endometriose, também feito através da laparotomia ou laparoscopia. Para realizar este procedimento, o primeiro passo é realizar o estadiamento da endometriose, isto é, identificar os lugares exatos.

Esse processo é feito pelo ginecologista previamente para então compor uma equipe especializada que realizará a cirurgia. O processo cirúrgico removerá todo o endométrio dos locais afetados para eliminar os sintomas e reduzir as chances da doença retornar.

Os processos de laparoscopia e laparotomia são procedimentos cirúrgicos usados para diagnosticar e tratar a endometriose. Há uma pequena diferença entre estes dois procedimentos.

No caso da laparoscopia, o procedimento é realizado através de pequenas incisões no abdômen e a introdução de instrumentos telescópicos para visualizar ou retirar as lesões.

Por outro lado, o processo cirúrgico através de laparotomia, o mais tradicional, é feito através de uma incisão abdominal maior que dá acesso aos órgãos internos.

As duas formas de tratamento podem ser indicadas pelo médico, tudo vai depender do grau de evolução da doença e do lugar onde ela está localizada. No entanto, a laparoscopia é considerada mais vantajosa, pois, exige menor tempo de internação e recuperação da paciente.

Deixe um comentário