As 10 principais doenças nos ossos

O corpo humano contém 206 ossos. Os ossos são tecidos vivos, assim como todas as outras partes do nosso corpo e, como tal, estão constantemente passando por um ciclo de renovação. O tecido ósseo antigo é substituído por tecido ósseo recém-formado em um processo denominado remodelação. Muito parecido com a remodelação de uma casa, nossa estrutura esquelética é reforçada para que possamos depender dela ao longo de nossas vidas.

Caracterização dos ser humano mostrando o esqueleto

Em geral o médico que trata isso é o Ortopedista. Este post foi escrito com consultoria e ajuda do médico Dr. Rafael que é Ortopedista em Águas Claras DF. 

Normalmente, medimos a condição de nossos ossos por sua densidade ou “massa óssea”. Um exame de densidade mineral óssea, por exemplo, pode ajudar um médico a identificar o conteúdo de cálcio dos ossos – e, portanto, quão fortes são os nossos ossos.

Nossa densidade óssea atinge o pico quando somos jovens adultos, normalmente entre as idades de 25 e 30 anos. Depois disso, à medida que continuamos a envelhecer, nossos ossos gradualmente perdem densidade. Mas há maneiras de combater essa perda natural de massa óssea – como vitaminas e minerais, medicamentos de reposição e exercícios de musculação e levantamento de peso.

Quais são as 10 doenças mais frequentes?

Então, quais são as doenças ou distúrbios mais comuns que afetam os ossos? Em pesquisa feita em um importante Blog de Saúde e Notícias, listamos abaixo as 10 doenças nos ossos que você pode evitar.

  1. Osteoporose : A osteoporose, em que a baixa densidade significa que os ossos são quebradiços e fracos e propensos a quebrar facilmente, é de longe a doença óssea mais comum. Atualmente afeta milhões de pessoas, principalmente os com 50 anos ou mais. A osteoporose atinge mais mulheres do que homens, e, até mesmo crianças podem estar em risco de desenvolver osteoporose juvenil. Os problemas de densidade óssea podem ocorrer porque o corpo perde muito tecido ósseo, produz muito pouco dele ou alguma combinação de ambos. Tende a ser assintomático. Ou seja, as pessoas com osteoporose tendem a não saber que têm – até que uma fratura óssea os faça visitar um médico que faça o diagnóstico. 
  2. Doença de Paget: é uma doença óssea em que o processo de renovação óssea (remodelação) ocorre muito rapidamente, levando a deformidades ósseas (ossos moles e aumentados, como da coluna vertebral, crânio e ossos longos das coxas e perna). A doença de Paget tende a ocorrer em adultos com mais de 55 anos e pode ter um componente hereditário. 
  3. Infecção óssea: também chamada de osteomielite, a infecção do tecido ósseo é uma doença rara, mas séria. Pode ocorrer após uma cirurgia, como uma prótese de quadril, e pode se espalhar para os ossos de outra parte do corpo. Dor, inchaço e vermelhidão são sintomas comuns de infecção óssea, e os antibióticos são um componente comum do tratamento. Em alguns casos, partes do osso infectado podem precisar ser removidas cirurgicamente. 
  4. Osteonecrose: Sem sangue, o tecido ósseo morre, uma doença chamada osteonecrose. Na maioria dos casos, ocorre como resultado de trauma no osso que interrompe o fluxo sanguíneo para o osso – como uma fratura de quadril. O uso prolongado de esteróides em altas doses também pode causar esse tipo de morte de células ósseas. Uma vez que o tecido ósseo morre, o osso enfraquece. A dor que piora gradualmente pode indicar osteonecrose. 
  5. Tumores ósseos: os tumores ósseos ocorrem quando o crescimento descontrolado de células ocorre dentro do osso. Esses tumores podem ser benignos ou malignos. Entretanto, os tumores ósseos benignos (não cancerosos) que não colidem com outro tecido ósseo e não se espalhem são mais comuns.
  6. Osteoartrite: Uma doença articular degenerativa crônica, a osteoartrite é o tipo mais comum de artrite, com milhões de pacientes diagnosticados a cada ano. A osteoartrite ocorre quando a cartilagem que atua como uma almofada entre os ossos se quebra e os ossos se esfregam, causando dor, inflamação e rigidez.
  7. Artrite reumatóide: a artrite reumatóide (AR) é um distúrbio crônico de imunodeficiência em que o sistema imunológico ataca erroneamente os tecidos do corpo, como as articulações das mãos e dos pés. Muitas vezes isso começa, por exemplo, com uma simples dor no joelho.
    Ao contrário do dano causado pelo desgaste que ocorre com a osteoartrite, a AR afeta o revestimento das articulações, causando um inchaço doloroso que pode eventualmente resultar em erosão óssea e deformidade articular.
  8. Escoliose: Esta condição, na qual os ossos da coluna se curvam anormalmente para a esquerda ou para a direita, geralmente ocorre um pouco antes da puberdade. Existem aproximadamente 3 milhões de diagnósticos de escoliose feitos a cada ano nos Estados Unidos, embora a maioria dos casos seja leve. Em alguns casos, as deformidades da coluna vertebral pioram com o tempo. Sua causa é desconhecida, embora se suspeite de um componente hereditário. 
  9. Baixa densidade óssea: também chamada de osteopenia, é diagnosticada quando a densidade óssea de uma pessoa está mais baixa do que deveria. A baixa densidade óssea pode levar à osteoporose, que causa fraturas, dor e aparência curvada. É importante fazer as alterações necessárias para melhorar a densidade óssea se você for diagnosticado com osteopenia. 
  10. Gota: as articulações são afetadas de maneira incomum em pessoas que desenvolvem gota. Um distúrbio comum no qual o excesso de cristais de ácido úrico se acumula nas articulações, causando inchaço, dor e vermelhidão anormais. O dedão do pé normalmente fica visivelmente inchado, mas os sintomas também podem ocorrer em outras articulações, incluindo tornozelo, pé ou joelho. A gota pode ocorrer devido à dieta inadequada ou se seus rins não estiverem processando o ácido úrico adequadamente.

Agora que você já sabe quais são as doenças, como prevenir e os sintomas, poderá mudar alguns hábitos e evitar esses problemas ósseos ou até mesmo identificar isso em outras pessoas.

Deixe um comentário